Vamos?

abril 03, 2017

|| Pinterest: Isabarvalho || não autoral:
Pinterest
  

Tenho apenas 20 anos, mas já reconheço os lados bons e ruins do amor. Ao longo de minha formação aprendi a identificar os homens o que são bons, ruins, belos, feios, os que têm muito mais que um simples sorriso e os que apenas tem o sorriso. Aprendi a jogar o jogo deles e por diversas vezes tentei ser um. Não que eu queria pegar mulheres ou coisas do tipo, mas queria ter a facilidade de esquecer, como eles, na maioria das vezes, esquecem. Ou fingem esquecer. Me lembro perfeitamente do meu primeiro amor. Ele era legal, me compreendia, porém não entendia. Lembro-me do meu primeiro namorado. Ele era perfeito, compreensivo, amoroso, educado, tudo que uma mulher sonha. Mas não me completava. O meu segundo namorado era bom, mas mentia e isso, com o tempo, o tornou ruim. Conheci e convivo com muitos homens em minha vida. Tanto como ficantes ou como minha avó diz... paqueras, como amigos. Aprendi a lidar com cada um deles, mas não aprendi a lidar com você. Existia um eu antes de você e agora existe um eu depois de você. Um pouco surreal e dramático o que vou dizer mas acho que você é o cara. Porque ouvi dizer que a pessoa certa para você é aquela que te confunde e que te faz melhorar. E você faz isso comigo.
Um dia uma pessoa me questionou: “Paixão poderia virar amor, e o amor poderia virar paixão? Eu logo me peguei pensando em você. A partir daí comecei a entender o sentindo. Penso que por mais que ache difícil e que eu queria desistir de tudo, me jogar nos braços do primeiro estranho que encontrar.... Eu não consigo. Talvez até consiga, mas agora. Não quero. Sinto que você é o cara da minha vida e essa incerteza caminha lado a lado comigo todos os dias, desde aquele que te conheci. Eu só queria que você facilitasse as coisas para nós. Existe um mundo muito maior e bonito do que esse que você vê. A vida sozinha é boa, mas a compartilhada é melhor ainda. Ninguém nasceu para ser sozinho. Quero ser sua parceira, amiga, confidente, amante, namorada e tudo que puder.
Só não tenha tanto medo, eu te peço. Ele nos atrapalhou no início, mas eu ainda estou aqui. Estou desde o primeiro momento em que nossos olhos se cruzaram, em meio à confusão daquele sábado à noite. Me deixa segurar sua mão, acariciar teus cabelos e beijar teus lábios. Tenta compreender que podemos dar certo e ser completos um para o outro. Porque o amor é assim, ele confunde, ele nos faz pensar loucuras. Parece ser algo de outro mundo, algo complicado. Mas o amor é simples. O problema são as pessoas que o complica. Pega na minha mão e mergulha comigo nessa imensidão. Sem medo e sem complicação. Vamos ser simples, deixar o que deu errado de lado e fazer dar certo. Como já disse, ser completos um para o outro.
Não quero a sua metade para combinar com a minha. Quero que meu inteiro complete o seu. Quero sussurrar, no pé do seu ouvido. “Deita. Aqui. Deixa. Eu. Cuidar. De você. De mim. De nós”. Bem assim, pausadamente, para que dessa vez, sem confusões, sem outras pessoas e situações, você entenda que eu sempre te quis. Mesmo quando antes evitava querer e demonstrar. Mesmo quando evitava a troca de olhares para não entregar o que carregava no meu interior. Ah rapaz.... Vou confessar uma coisa. Não sei o que estou falando mas sei o que sinto é muito mais forte do que um simples momento de um sábado à noite. Acho que podemos ser bem mais do que somente eu e você. Podemos ser nós. Vamos?


Esse texto foi escrito em parceria com uma grande amiga (mala), a @Madu. Juntas escrevemos ele, e transmitimos nele o que sentimos. 
Beijos, meus e dela. 

Você pode gostar também

0 Comentários

Vou ficar bastante feliz com seu comentário! Beijo